Translate

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

De onde vem aquele pássaro solitário
Que teima em me chamar para a janela?
Ainda não é verão, sequer é primavera.
Mas ele insiste, canta, voa, volta, espera.

Não é prudente que se ponha em meu caminho
De ondAe terá vindo, de que mares de que terra?
Por que me procura, logo agora que estou fria?
Com que direito me desperta instiga e desafia?

Segue o teu caminho demônio anjo passarinho
Não tenho nada pra te dar sequer carinhos
Nada tens que devolva a minha alegria

Não. Espere. Não vá. Estou arrependido
Fique. Faço-te um ninho entre as minhas coxas
Venha. Preencha o meu vazio pequena ave roxa
Não há como carregar a sorte do defunto
escolha dois de seus braços
do defunto
some aos teus
teus braços avarenta vaca
já viu vaca avarenta? eu já
some os teus braços
visse?
não há como carregar a sorte do defunto
contudo santa
é de sorte que o defunto seja
é de sorte que o defunto feda
é de grandessíssima sorte que o defunto sofra
imensa contração-descontração muscular
quando das tuas flores de ereta pata.
essa foto emparedada
na garganta da ausência
à procura da mesa obscura

turva a nódoa dos lamentos
purga o osso dos xingamentos   
ferrugem nas almas
e as prendas que ofereço:
a surpresa do soco
a sintaxe dos loucos

esse inseto de mil patas
já devora o decifrado     
grito frio de montanha russa
pesadelo e acordeon
Uma voz forte

Termina o trabalho de acordar-me
Em doce e velho italiano

Vou à cozinha
Com minhas pernas
Faço meu o próprio café
Ponho tanto açúcar
Quanto quero

Choro sobre o mamão
Picado no prato
Recolho as gotas como contas
Que ponho num colar        

São lágrimas de saudades
Que tenho de mim.

domingo, 10 de novembro de 2019

Sobre o medo que eu tenho de te perder.
Sim eu tenho um medo imenso de te perder
Não sei qual é o mundo que nos espera assim que você deixar este quarto e passar pelo corredor.
Não sei o que o tempo fará com as palavras doces que você me diz
Eu já vi isso antes
Eu deixei os amores irem embora, pois acreditei quando eles disseram que voltariam
Fique aqui, fique um pouco mais, fique por mais 5 minutos ou até o meu ducentésimo aniversário
O mundo é cruel com aqueles que se amam, pois tudo se torna um motivo para uma saudade imensa e quando você sair da minha vida a dor será imensa.
Acredite, eu sei.
Eu sou um desastre, pego pequenos feixes de luz e guardo no meu peito, sei que é uma batalha perdida, mas o meu espírito Quixotesco faz com que eu lute contra o tempo
Quero segurar os ponteiros do relógio até não ter mais força nas mãos, tudo para evitar que este momento não passe, felicidades simples são raras e com frequência perdemos o momento.
Fique aqui, fique um pouco mais, não deixe que o seu cheiro fique apenas nos meus lençóis e torturem a minha memória.
Vamos ignorar o sol que já se mostra de uma forma exibicionista lá fora, fique aqui e deixe eu te contar histórias dos futuros.
Você tem que ir, todos estão sempre indo e de uma maneira estranha eu fico, eu sempre fico, como uma árvore aprisionada em suas próprias raízes.
Venha meu amor,
Venha comigo, mas venha devagar.
Na noite deslizemos, para não acordar as estrelas.
Conheçamos companheiros, os mistérios mais profundos,
de Deus tornado homem e mulher.
Eu te dispo. Tu me despes.
E nossa nueza crua, assim tão nua,
brilha mais do que a lua.
Venha meu amor; devagar bebamos a doçura
que dos olhos este momento mágico exala.
Eu te quero e tu me queres,
mas, não nos movamos,que assim,
tornados estátuas, perpetuamos segredos,
que continuam no gesto de minha mão
que agora toca ao rosto teu.
Rola na tua face, lágrima solitária,
teus olhos me brindam, brotando emoção.
Tremem os meus lábios,
que a sorvem, sem no teu rosto tocar.
Venha meu amor; que a morte não te assuste.
Morramos para tudo neste momento final.
A tua mão com timidez, ao meu corpo toca,
deslizando docemente, tu falas ao meu coração:
_ Sim, contigo eu vou, amor meu,
da morte não tenho medo
que morrer neste instante é sublimidade da paixão.
E o teu corpo ao meu se cola.
Perdidos estão os contornos,
não sabemos mais quem somos,
Não sabemos, tu e eu.
E o teu corpo assim tão próximo,
o teu seio tão macio, o teu colo,
teus cabelos e o perfume que exalam,
tudo fala e tudo cala.
Outra vez quedamos imóveis.
Fechas teus olhos.
Fecho os meus.
E nos abismos do ser em serenidade mergulhamos.
Tudo é paz. Tudo é silêncio. Tudo é só verdade.
Assim, as almas libertas, em proximidade tão distante
voam, voam pelo céus,
e nem percebem a fusão que aconteceu.
Não sei mais da minha carne e nem tu sabes da tua.
Não sei mais do meu ser e tu não sabes do teu.
E assim mantidos imóveis perdidos
num tempo que não passa,
descobrimos a eternidade:
Tu me sabes e eu te sei!
Nada é o que nos resta
O milagre acontceu.
Quando dois corações se encontram...

Quando dois corações se encontram pulsam no mesmo ritmo... Quando duas almas se encontram e se reconhecem... O tempo é mera ilusão... E todo o sofrimento é um pequenino espinho no caminho...
A Saudade... A tristeza... A falta que você me faz...

Mas as alegrias simples... Como falar com você, mesmo pela internet ou telefone... Basta Falar, um oi, tudo bem? Transbordam do cálice os pequenos gestos de carinho... Que você tem para comigo movimentando turbilhões de sentimentos elevados... Que sobe as esferas mais elevadas dos céus emocionando ate os anjos do céu.

Porém... Esse momento ou encontro pode durar um segundo, um mês ou mil anos, mas será eterno em meu coração... Você me faz um bem tão intenso, que você nem imagina... Que se multiplicando por milhões, funde ao amor do Pai Celestial, objetivo dos objetivos.

Esse momento ou esse encontro pode se dar por um olhar, por carta, por telefone, pessoalmente, virtualmente e até telepaticamente... Acho (não) tenho certeza que é o que acontece com nos dois (pelo menos comigo), te amo telepaticamente, Te amo virtualmente, Te amo do fundo de minha alma. Sinto sua falta... Você nem faz ideia....

Mas o que importa, são suas ações... Seus pensamentos.... Suas palavras carinhosas... Ficarão eternamente guardadas em minha alma... Como as ondas sonoras do rádio a viajar pelo espaço infinito... Semeando... semeando... Amor... Amor... Paixão... Paixão... Saudades... Saudades... Tristezas... Tristezas... Por estar longe de você...

É uma grande felicidade você ter entrado em minha vida... Não interessa como! Você hoje faz parte da minha vida material e espiritual... Estou feliz da vida por você existir meu amorzinho do fundo do meu coração e da minha alma...

Nestes dias pensei muito em você... Queria você ao meu lado... Seus beijos... Mas nessa vida será impossível... Mas quem sabe na próxima ou quem sabe... Nesta... Não sei... Sei de uma coisa senti muita saudade... Queria falar pelo menos um oi... Já bastava, um simples oi...

Adoro-te. Adoro-te. Eternamente... Não me pergunte por quê! E nem como! Pois não sei! Só sei que te gosto muuuuiiiiitttttooooo.